Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2021

Dostoiévski e o cristianismo nosso de cada dia

  "Existem três forças capazes de cativar e vencer a consciência para sua própria felicidade: o milagre, o mistério e a autoridade... [essas forças] Tu rejeitaste e deste pessoalmente o exemplo para tal rejeição". Esta é uma fala de uma parábola que se refere à narrativa da rejeição de Cristo às propostas de se atirar do alto de um templo (para que provasse que era filho de Deus) e descer da cruz (para provar que era o Messias). Sempre me impressiona o que vem a seguir: "Não desceste porque mais uma vez não quiseste escravizar o homem pelo milagre e ansiavas pela fé livre e não pela miraculosa. Ansiavas pelo amor livre e não pelo enlevo servil do escravo diante do poderio". E mais: "Nutriste a esperança de que, seguindo-te, o homem também estaria com Deus, sem precisar dos milagres. Porém, mal tendo rejeitado o milagre, o homem imediatamente renegou a Deus, porquanto o homem procura não tanto Deus quanto os milagres”. Estes são trechos do capítulo 

o gospel e a meritocracia dos prêmios de música

No Grammy Latino de 2008, uma música gospel (' Som da Chuva ') levou o prêmio de melhor canção brasileira concorrendo com Djavan, Jorge Vercilo e Vanessa da Matta. Esta produção evangélica (gravadora Line Records) não apenas foi ganhadora de dois troféus de música e álbum cristãos, mas também venceu na categoria Melhor Canção em Língua Portuguesa, um feito até então inédito e que não se repetiu mais.  No entanto, uma matéria no jornal O Globo (30 nov. 2008) apontou que os votos a 'Som de Chuva' nesta última categoria da premiação não teriam sido motivados apenas pelo critério musical.  Segundo apurou a reportagem, o resultado surpreendente seria explicado pela baixa adesão dos artistas seculares e pelo corporativismo dos artistas evangélicos que votaram em massa em 'Som da Chuva', emplacando não só a indicação como também o prêmio máximo à canção. A vitória do segmento evangélico em categoria que não fosse exclusivamente de produções cristãs não era exatamente u