Pular para o conteúdo principal

neymar: uma história mal-cortada de amor e ódio


No princípio, o brasileiro tratava o Neymar como neto. Como os avós de antigamente (os avós de hoje só querem saber de caminhada e cruzeiro pelo litoral), tudo o que menino fazia era um mimo.

Neymar dava um chapéu abusado no Chicão, é coisa de guri! Neymar apanhava em campo, não mexam com meu garoto! O moleque humilhava zagueiros, caçoava do Rogério Ceni, enfim, era o capeta em forma de guri bom de bola.

Logo o brasileiro passou a exigir Neymar na seleção. Olha aí, Dunga, ele pula, ele roda, ele faz requebradinha! Já dava pra escutar um Galvão aos berros: “Neymar neles! Seguuuura que eu quero ver!” Mas o Dunga segurou.

Só que a adolescência do Neymar mal começava e foi quando todo mundo resolveu ser coordenador pedagógico do menino. “Estão criando um monstro”, advertiu o técnico Renê Simões. Desse jeito, quando ele driblar de novo, vão dizer que ele não tem modos.

Os tios e avós postiços de Neymar adoram passar um receituário de corretivos: “Deixem ele sem PlayStation por um mês”, “São as más influências do Face", “É esse penteado”, “É muita tintura na cabeça”.

Neymar é um projeto de craque, cheio de amor, caneta e chapéu pra dar. Mas é tanto marketing e Wellaton que ele precisa abrir o olho pra não virar só um “Neymala”. Por isso, ele fez bem em ir para o Barcelona jogar com um craque discreto como o Messi. Imagina se vai pra Madrid disputar o telão e o gel com o Cristiano Ronaldo!

No mais, não é o caso de só passar a mão no cabelo moicano toda vez que ele cometer uma bobagem. Mas não vamos fingir que, se ele fosse nosso filho, a gente faria melhor.

Comentários

douglas reis disse…
Muito bom, amigo. Reflexão oportuna. E quem ganha é a seleção: a projeção é que o craque amadureça no Barça. Vamos ver.
Anônimo disse…
when was absolute dating first used http://loveepicentre.com/contact/ dom sabra dating
who is skandar keynes now dating [url=http://loveepicentre.com/testimonials/]dating india asian singles[/url] dating bulova watches
find free dating sites [url=http://loveepicentre.com]dating in mumbai india[/url] dating website prices [url=http://loveepicentre.com/user/aryanrajput/]aryanrajput[/url] dating 50
Anônimo disse…

В Рязани 16 ноября состоялось шествие инвалидов. В акции приняли участие около 80 человек, сообщает корреспондент Собкор®ru. Впереди колонны ехала группа инвалидов на колясках Их возглавил тренер хоккейно-футбольного клуба "Россия" Михаил Безруков, который 10 лет является инвалидом I группы.



Шествие стартовало по улице Почтовой, от памятника Ленина. Организаторы наглядно показали присутствующим, какой сложностью являются для парализованных людей такие, казалось бы, "мелочи", как отсутствие специального пандуса на крыльце магазина. Инвалиды с трудом преодолевали ступеньки Главпочтампа и других учреждений, расположенных на Почтовой. "Нормально перемещаться парализованному колясочнику по Рязани сегодня невозможно", - заявили организаторы



Тут же состоялся митинг под лозунгом "Обеспечить инвалидам равные с прочими гражданами России возможности для реализации гражданских и политических свобод!" В своем выступлении Безруков сделал упор на социальную политику государства, абсолютно игнорирующую нужды людей с ограниченными возможностями.



В частности, на сегодняшний момент в России отсутствуют нормативы, обязывающие в процессе градостроительства и планировки городских и сельских поселений учитывать специфические потребности инвалидов: лифты, подъемники, пандусы, специальные места для отдыха и приспособления в общественном транспорте. Между тем, только в Рязанской области сейчас проживает свыше 150 тысяч инвалидов.



По завершению митинга на Почтовой инвалиды доехали до здания городской администрации. Там они передали в приемную мэра Рязани Федора Провоторова протестную петицию, подписанную ста рязанцами.



Антон Мещерский



kasparov.ru/material.php?id=473EB5230AFA7
[url=http://eyesvision.ru/laser-correction][color=#E4F4FE]лазерная коррекция зрения[/color][/url]

Postagens mais visitadas deste blog

o adventista Little Richard

Foi num sábado que faleceu aos 87 anos o mais famoso ex-aluno da universidade adventista Oakwood College: o cantor Little Richard. Ele mesmo, um dos pioneiros do rock, que cantou sucessos como "Tutti Frutti" e "Good Golly Miss Molly", o homem do inconfundível  wop-bop-aloo-bop-alop-bam-boom . Assim como vários outros cantores, Little Richard foi criado nos bancos de igrejas evangélicas da América. No auge do sucesso, em 1957, se sentindo em falta com sua fé e passando por problemas financeiros, anunciou que estava deixando tudo para se tornar pastor. Pesou nessa decisão um incidente em que uma forte turbulência afetou a aeronave onde ele viajava e Richard disse ter visto luzes brilhantes de anjos protegendo o voo, o que ele tomou como um sinal de Deus. Ele, então, foi estudar em Oakwood e durante cinco anos só gravou música gospel. Durante esse período, ele participou de uma campanha evangelística ao lado do pregador adventista E. E. Cleveland. Na ocasi

o dia mais gospel dos reis do rock

Depois de estourar nas rádios com a canção BLUE SUEDE SHOES, Carl Perkins foi gravar algo novo no estúdio da Sun Records, em Memphis. O iniciante cantor Johnny Cash foi lá assisti-lo. Quem também estava chegando no estúdio era o jovem Jerry Lee Lewis, uma aposta para o fim daquele ano de 1956. Quem o levou foi o dono da Sun Records, o lendário Sam Philips. Lendário porque este era o homem que descobrira Elvis Presley um ano atrás. Aliás, no meio da tarde, Elvis passaria no estúdio só para uma visita, pois já era um astro internacional e agora gravava na poderosa gravadora RCA Victor. Foi assim, por mera coincidência, que o dia 4 de dezembro de 1956 marcou um inédito encontro dos quatro cantores. Conversa vai, música vem, de repente os quatro estavam numa sessão improvisada de sucessos do rythm and blues, do country, do nascente rock and roll...e do gospel. Assim que Elvis chegou com sua namorada, Perkins interrompeu a gravação. Eles começaram a papear e rir, até que Elvis foi

a generosidade não está nos manuais

Corre na internet o vídeo em que um segurança impede que um cliente pague um almoço para uma criança que vendia chiclete no shopping. Nele, vemos duas formas de violência em estado bruto. 1) Uma criança pedindo (e não comprando, como é regra dos nossos shoppings) comida. E numa situação de viver da caridade de quem lhe detesta, uma criança com fome é a primeira violentada. 2) Um segurança que obedece cegamente ao manual de conduta dos nossos shoppings. E sob a condição de pe rder o emprego caso não cumpra zelosamente o manual, ele se obriga a perder a compaixão, a compostura, a humanidade. * Quanta violência já não foi cometida por pessoas que não hesitam em dizer "estou apenas cumprindo o meu dever"? * Mas nesse mesmo vídeo, "tanta violência, mas tanta ternura", como nos versos de Mário Faustino. O cliente resiste e vai "cometer" ali um "crime de generosidade". Oferecer um prato de comida a quem pede é uma violação do manual do sho