15 julho, 2016

poema para nice


Nesse olho por olho, ficamos cegos de afeto
Nesse dente por dente, ficamos mudos de respeito
Matamos o Cristo e ainda batemos no peito:
“Pai, queima aquela igreja, eu sou o único correto”

Um pouco de amor para o devoto que sonha com o paraíso
Mais tolerância para a fé do homem que se faz bomba
Mais compaixão para o bispo que chuta a santa
Um pouco de poesia para um mundo que perdeu o juízo




JSM.

Nenhum comentário: