24 julho, 2014

Ariano Suassuna é que sabia das coisas


Ler Ariano Suassuna é se ver representado facilmente: "O otimista é um tolo. O pessimista, um chato. Bom mesmo é ser um realista esperançoso". Não sei você, mas eu vivo num rodízio dos três.

Eu, que não consigo ficar em fila sem um livro na mão, gosto dessa: "Quem gosta de ler não morre só".

Essa frase aqui é minha selfie: "Dizem que todas as pessoas têm um lado bonito. Então acho que sou um círculo".

P.S: nacionalista até à medula, Suassuna repreenderia o uso de "selfie".

Quem já ouviu Stevie Wonder, Dave Brubeck e George Gershwin, não vai discordar dessa: "Madonna e Michael Jackson são muito limitados. É ofensivo dizer que representam a cultura americana".

E como resistir a essa frase?: "Tenho duas armas para lutar contra o desespero, a tristeza e até a morte: o riso a cavalo e o galope do sonho. É com isso que enfrento essa dura e fascinante tarefa de viver".



adeus, Ariano. 

Nenhum comentário: