05 janeiro, 2012

umberto eco: para gostar de ler


Umberto Eco completa 80 anos de vida. Erudito versado em arte, literatura,linguística, filosofia, estudos da mídia, religião e ainda um romancista bestseller, Eco parece capaz de escrever sobre qualquer assunto com maestria.

Ele mistura investigação criminal com discussões filosófico-religiosas em O Nome da Rosa; discorre sobre a multiplicidade, mas não a infinidade, da interpretação de uma obra no livro Obra Aberta; analisa a divisão entre os que veem a cultura de massas como um transtorno cultural e os que aderem alegremente à cultura pop, como em Apocalípticos e Integrados; defende a existência do livro apaixonadamente em Não Contem com o Fim do Livro.

Numa eleição promovida pela revista Prospect, figurou em segundo lugar como o maior intelectual vivo do mundo, atrás de Noam Chomsky. Com a ajuda do WikiQuotes, selecionei algumas frases de seu livro mais conhecido como pequena homenagem a esse gigante do pensamento.

De "O Nome da Rosa" (vale a pena assistir ao filme):

"Nada inspira mais coragem ao covarde do que o medo alheio"

"Não há progresso, não há revolução de eras, na aventura do saber, mas, no máximo contínua e sublime recapitulação"

"Os livros não são feitos para se crer neles, mas para serem submetidos a investigação."

"Fragmentos da cruz vi muitos outros, noutras igrejas. Se todos fossem autênticos, Nosso Senhor não teria supliciado sobre duas hastes cruzadas, mas sobre uma floresta inteira."

"O caminho da ciência é difícil e é difícil distinguir nele o bem do mal. E freqüentemente os sábios dos novos tempos são apenas anões em cima dos ombros de anões. O limite entre o veneno e o remédio é bastante tênue, os gregos chamavam a ambos de Pharmacon."

*****
Para pesquisadores, o breve Como Fazer uma Tese é indispensável. É onde ele diz que não há objeto de pesquisa indigno, mas sim metodologia inadequada.

2 comentários:

Vanessa Meira disse...

Umberto Eco perder para Noam Chomsky em qq tipo de eleição é brincadeira... rsrsr

joêzer disse...

rsrs. concordo com você, Vanessa.