08 fevereiro, 2012

o hit passageiro e a balada eterna


Tirem as crianças da sala, fujam para as montanhas. As músicas mais tocadas no finado ano de 2011 são o retrato sem photoshop da geração balada. São canções produzidas para a cultura da festa full night, para celebrar o encontro do álcool com a falta de moderação, para a coreografia excessivamente sexualizada, para a cantada machista, para a pole dance das cantoras de ventilador no palco espalhando o cabelão.   


Os videoclipes já são autoexplicativos, mas aí estão as letras para provar que no quesito "letra ruim" o pop americano ainda é insuperável. Como ninguém grogue dá atenção à rima rica e à métrica, os poetas da dance-and-drink music economizam tempo, metáfora e gentileza de uma vez só.

#1 - Far East Movement (Like a G6):
A mulherada adora o meu estilo, ficam loucas na mesa 
Abra logo essas garrafas, a gente vai servir e beber 
Agora me passa mais duas garrafas, porque você sabe que a gente não para
Isso aí / Beba tudo, beba, beba tudo 
Vou criar coragem abrindo garrafas em casa 
É assim que a gente vive, toda noite

[Não foi a número 1 das baladas por acaso]

#2 – Edward Maya (Stereo Love):
O programa “Globo Esporte” se encarregou de divulgar esse hit ao usá-lo como trilha sonora de reportagens e fundo musical dos créditos finais. Antes, os gols eram repetidos ao som do samba tupiniquim. Agora, com trilha bate-estaca, a música chata é globalizada (com trocadilho, por favor).

#3 – Selena Gomez (Shake it up) - O que a princesinha da Disney está fazendo nessa lista? O Wiki diz que a moçoila é fã ardorosa de Britney Spears e Nicky Minaj, duas meigas inspirações, e informa que ela já teve três canções no topo do Hot Dance Club Songs (não deveria, mas tal proeza é motivo de orgulho). Pra compensar, os marketeiros guiam a moça em campanhas de boas ações e em frases como “estou encorajando outras crianças a fazer diferença no mundo”.

#4 – Black Eyed Peas (The Time – dirty bit):
Então vamos, vamos nessa / Vamos perder o controle
Vamos nessa a noite toda / Até não aguentarmos mais
As pessoas estão dançando com a música / Aumente o som, quero ver você dançar
Nós vamos agitar até o fim / Até a casa cair
É, está quente aqui / A temperatura deixou essa mulherada pirando

[Depois da lucidez desses versos, entra a vocalista Fergie e mostra toda a sensatez do estilo]:

Eu fiquei louca, louca, baby / Eu estava relaxando com as minhas amigas 
Eu não vim pra aparecer / Eu vim pra perder a cabeça
Eu nasci pra ser selvagem / Esse é o meu estilo 
Se você não sabia disso / Bem, amor, agora você já sabe

#5Rihanna feat. Drake (What’s My Name):
Erva boa, vinho branco / Eu vivo na noite 
Hey garoto, eu quero ver se você aguenta com uma garota como eu
Hey garoto, eu realmente quero estar com você 
Porque você faz meu tipo, Oh na na na na.

[Erva boa? Tolerância zero americana só funciona para pobre]

#6 – Ke$ha (We R Who We R):
Tenho Jesus no meu colar / Tenho glitter nos meus olhos 
As meias rasgadas até em cima / Com aparência louca e sexy
Então vamos nessa / Esta noite nós vamos pegar pesado 
Como se o mundo fosse nosso / Estamos arrebentando 
Você sabe que somos super estrelas / Nós somos quem somos!
Estamos dançando como patetas / Nossos corpos ficando trôpegos
Nós vamos ser para sempre jovens / Você sabe que somos super estrelas 

[O melancólico sonho de toda estrela que valoriza o hit passageiro e a balada eterna: ser jovem pra sempre]

#7 – Lady Gaga (Just Dance):
Eu bebi um pouco demais / Todas as pessoas começam a requebrar 
Pegas em uma dança louca / Não consigo encontrar minha bebida, cara
Onde estão minhas chaves, eu perdi meu celular / O que está acontecendo na pista 
Eu amo essa música, mas eu não consigo mais ver direito 
Manter a calma, qual o nome desse clube? / Não me lembro, mas está tudo bem, tudo bem

Apenas dance, vai ficar tudo bem (da da doo-doom) 
Apenas dance, gire esse disco, querido (da da doo-doom) 
Apenas dance, vai ficar tudo bem

[Rihanna faz oh na na, Gaga faz da-doo-doom, o axé faz aê-aê-hey-hey-ô-ô. Não discuta, apenas dance]

#8 - Katy Perry & Snoop Dog (California gurls):
É mais ou menos como se a Sandy daquele comercial de cerveja fizesse dueto com o Compadre Washington!

#9 - Black Eyed Peas (Rock That Body):
Eu quero dançar sob as luzes / Eu quero mexer 
Eu quero mexer o teu corpo / Eu quero ir, eu quero ir fazer uma viagem 
Saltar na música e mexer o teu corpo bem
Mexe esse corpo / Vamos lá, vamos lá, mexe esse corpo 
Mexe esse corpo / Vamos lá, vamos lá, mexe esse corpo

[O selo de qualidade do grupo Black Eyed Peas. Midiáticos e estilosos, imagina quando saírem da 4ª série!]

#10 - Katy Perry (Teenage Dream):
Nós dirigimos para Califórnia, e ficamos bêbados na praia

[A questão não é proibir alguém de cantar sobre diversão, velocidade e embriaguez. Não quero fazer pose de moralista fariseu. Mas a canção está tão encharcada desses valores que, se fossem inseridos os caracteres “aprecie com moderação”, não seria de se estranhar]

9 comentários:

Roberto disse...

Bem feita a sua leitura, a impressão é essa mesma, concordo. O curioso é que vivemos uma época em que a quantidade de informação disponível deveria elevar o nível dessa cultura e o efeito é exatamente inverso.

Que Deus me dê sabedoria para educar dois filhos num universo tão medíocre, onde a tarefa é árdua, desumana. Ajudá-los a formar uma opinião. Vlw!

joêzer disse...

"a quantidade de informação disponível deveria elevar o nível dessa cultura e o efeito é exatamente inverso". Na mosca, Roberto!

Gabriel Ribeiro disse...

Se não gosta, não ouça, simples assim!

Pedro Farias disse...

Deus disse,examinais tudo e reteis os bens,se alguem curte isso mais nao deixa q isso danifique sua vida nao ha problema,mais issoe mto dificil pq o ser homano e mto influenciavel.

Priscylla Violino disse...

Achei muito interessante vc ter colocado estas músicas Ângelo; eu vi que muitas vezes as músicas cantadas neste tempo tem umas letras meio que sem lógica, ou expressam sentimentos muitas vezes absurdos, idiotas, e etc...
Quem curti ou escuta, pode muitas vezes estar poluindo sua mente, e ao mesmo tempo sua boca com coisas que aparentemente não são nada, mas no fundo mesmo existe algo que pode afetar, mesmo as letras sendo bestas.
Por algumas músicas serem em outro idioma, e de um(a) determinado(a) cantor(a), pensamos que não tem nada de mais, e que são letras lindas, e que não vai nos influenciar em nada, por isso temos que ter muito cuidado muitas vezes com o que ouvimos, por que nem tudo é o que parece ser !

Priscylla Violino disse...

Priscylla Souza Britto 1º A

Vanessa Nascimento disse...

Infelizmente, não só a musica pop como também outros gêneros, tem letras com duplo sentido... ou nem isso. Muitas vezes escutamos as músicas sem nem ao menos saber do que se trata por serem músicas internacionais, e, mesmo não tendo a menor ideia do que diz a letra, querendo ou não, elas acabam nos influenciando de alguma forma, mudando nosso modo de pensar, nosso modo de agir, pode até ser de uma forma mais indireta, mas ela acaba nos influenciando. Devemos ter cuidado com o que escutamos, pois se escutamos esse tipo de música, é porque concordamos com o que a sua letra diz. Então é sempre bom saber o que diz a letra, antes que elas fiquem "tocando" na sua mente.
Vanessa N. Arruda - 2°A

Vanessa Nascimento disse...

Infelizmente, não só a musica pop como também outros gêneros, tem letras com duplo sentido... ou nem isso. Muitas vezes escutamos as músicas sem nem ao menos saber do que se trata por serem músicas internacionais, e, mesmo não tendo a menor ideia do que diz a letra, querendo ou não, elas acabam nos influenciando de alguma forma, mudando nosso modo de pensar, nosso modo de agir, pode até ser de uma forma mais indireta, mas ela acaba nos influenciando. Devemos ter cuidado com o que escutamos, pois se escutamos esse tipo de música, é porque concordamos com o que a sua letra diz. Então é sempre bom saber o que diz a letra, antes que elas fiquem "tocando" na sua mente.
Vanessa N. Arruda - 2°A

Ana Rosa, 2º A disse...

Será possível afirmar nos dias atuais que nós não fomos e somos influenciados? Vi vários comentários de pessoas afirmando que são capazes de discernir o que escutam, e se irão "deixar" serem influenciados ou não. A questão é, tudo o que somos hoje, é proveniente, do genes e do meio (família, amigos, ambientes, música, crenças, história, etc). Pensa-se que há um conhecimento, um domínio enorme da mente e que é possível "descartar" tudo que fica incutido no subconsciente. Não é tão simples assim. Muitas vezes agimos por influência e não percebemos. Preferências, fala, atitudes podem ser provenientes de algo que você viu, leu ou ouviu. Então, se você segue uma filosofia que não se adéqua ao que a música mostra como legal, descolado, muito cuidado.