26 setembro, 2012

como tirar um sorriso de Beethoven

Numa sonata clássica para piano, o compositor apresentava um tema no começo da música e em seguida fazia variações, que poderiam ser tocadas em tonalidade menor, quatro tons acima, com floreios, sem floreios, de forma lenta, mais rápida, na região grave do piano, na região aguda e assim por diante, até o final quase sempre empolgante e grandioso.

Isso é o que o comediante Dudley Moore faz com o tema "Colonel Boogey", assobiado no filme A Ponte do Rio Kwai (1957). Só habilidosos e engraçados humoristas são capazes de parodiar os habilidosos e sérios pianistas.



3 comentários:

Marcus Vinicius S. Oliveira disse...

kkkk agora eu rachei de rir! muito bom mesmo. :-)

Marcus Vinicius S. Oliveira disse...

mas, por outro lado, não poderia deixar de observar o lamentável fato de que um cara tão brilhante genial como ele tenha sucumbido em 2002, vítima de uma terrível doença degerativa incurável que compromete sensivelmente as capacidades motoras, a memória, a deglutição e a fala do indivíduo, fazendo-o parecer como se estivesse embriagado. passar pela deprimente experiência de ver suas aptidões físicas e mentais definhando aos poucos é algo que eu não desejaria para ninguém, nem mesmo para quem já não tem muitas habilidades a mostrar - como o michel teló, por exemplo.

joêzer disse...

puxa, não sabia que ele tinha passado por tão grave doença. de fato, uma pena. Dudley Moore era um artista completo.