26 dezembro, 2013

os melhores filmes em 2013

Meninos, eu vi. E pra mim, os melhores filmes que vi neste ano foram estes:

INCÊNDIOS (2010) – qual o preço de escavar o passado para descobrir quem você é? Nesse filme, esse trajeto pode ser dolorido, mas assisti-lo é uma experiência enriquecedora.


AMOR – um dilacerante conto moderno sobre o envelhecimento, sobre a morte e os limites do amor. Aqui não existe nada de fantasia da melhor idade.

A HORA MAIS ESCURA – o filme sobre a caçada americana a Osama Bin Laden não é ufanista, não hasteia bandeira. Nem faz apologia da tortura para obter informações. A tortura é mostrada, mas o que está em questão são os métodos utilizados para revidar o ataque terrorista. É sobre uma obsessão e suas consequências na mentalidade americana.



AS AVENTURAS DE PI – um filme francamente espiritual com imagens maravilhosas e uma consciência de que Deus se importa e age de formas inesperadas na vida das pessoas.


ANNA KARENINA – nessa adaptação do clássico de Tolstoi, o diretor Joe Wright (de Orgulho e Preconceito) criou um mundo novo onde cabem religião, romance e olhar social e põe tudo dentro de um teatro. Enquanto os dramas burgueses no palco nos mostram que na vida estamos sempre representando um papel em público, por outro lado, a vida simples e a fidelidade são vividas nos espaços abertos do campo.

HANNAH ARENDT – às vezes morno, às vezes didático, mas não importa. O filme levanta questões muito importantes sobre a questão judaica e a ação dos nazistas e tem uma atuação fascinante de Barbara Sukowa como a filósofa que acirrou o debate sobre a atitude moral dos sujeitos levados na correnteza da história.

STAR TREK: ALÉM DA ESCURIDÃO – não é tão bom quanto o primeiro da nova série, mas tem um Spock mais humano que nunca. E quem foi fã da antiga série vai amolecer o coração com citações de situações e personagens de outros tempos.


GRAVIDADE – um blockbuster com cérebro. No espaço, onde não há peso como na terra, uma astronauta experimenta a solidão, a iminência da morte, o sentido da oração, o peso do passado enquanto luta para sobreviver. Um feito técnico extraordinário, considerando que não há batalhas espaciais, nem aliens, nem romance. Só um ser humano e suas contradições entre a vida e a morte.

that's all, folks!

Nenhum comentário: