Pular para o conteúdo principal

Vivendo el gospel loco

Coluna de Daniel Castro, na Folha de São Paulo:

"As novelas da Record Os Mutantes e Chamas da Vida trazem em suas trilhas sonoras músicas de Mikefoxx, misterioso cantor de pop. Mikefoxx é a identidade secreta de Moisés Macedo (foto via PalavradeVida), filho caçula do bispo Edir Macedo, dono da Record e líder da Igreja Universal.

"Moisés só é conhecido como cantor gospel, mercado em que se apresenta como Moysés. Está prestes a lançar seu terceiro CD pela gravadora da igreja.

"Diretor musical da Record, Marcio Antonucci sustenta que Moisés não é obrigado a cantar gospel, embora demonstre gostar mais de pop - no primeiro CD religioso, gravou uma versão evangélica de hit do Aerosmith. Diz que ele só não assina como Moysés porque acha Mikefoxx mais comercial. Ele tem uma banda de rock nos Estados Unidos e usa o nome de Mikefoxx, conta.

"Em Os Mutantes, Moysés, ou Mikefoxx, emplacou "Amor de Sedução", baba com pegada trance que lembra o tecnopop de FM do começo dos anos 90. A letra romântica embalava o sensual casal formado por Ângelo Paes Leme e Mônica Carvalho. Em Chamas da Vida, o rapaz solta a voz numa versão dançante de "Primeiros Erros" (sucesso de Kiko Zambianchi nos anos 80).

"Segundo Antonucci, as músicas de Mikefoxx só entraram nas novelas após serem aprovadas por ele e por um comitê, que inclui autores e diretores das tramas. Não tem como entrar se não tiver a ver com o personagem e não convencer essa comissão, fala."

Folha de São Paulo, 12/10

* * * * *
Junte um codinome pop-secreto em inglês, um mancebo que faz cover evangélico de Aerosmith e uma novela sobre mutantes no Brasil e imagine o que não diriam nos tempos em que trash era o mesmo que mau-gosto. Melhor não imaginar; o cenário assusta, mas é um cenário inspirador para a letra de “Amor de Sedução” (seria da lavra de Mikefoxx?):

O tempo que passou,
Não pode mais voltar.
Me rendo, meu amor,
Não deixe escapar.

No seu amor de sedução
Eu me perdi
Sinto meu coração querer
Sinto fluir.

Quando se encontra uma paixão
Melhor assumir.
Fácil entrar na solidão
Quero sair.

Oh oh oh oh oh oh oh oh oh oh (4 x)

Comentários

Danilo disse…
(Risos)

Nem acredito no que acabei de ler. Já pensou o codinome Moisés inscrito no encarte do cd da trilha sonora da novela sensação da Record? Não pode!

Ah, mas no álbum pseudo-evangélico ele parece fazer questão do uso do nome artístico bem característico...
Renildo disse…
conheco o moyses desde o comeco ou seja da estreia de seu primeiro cd "A Diferenca".Sou fa,diria nato dele e acho que muitas musica s dele serve para tocar concerteza os coracoes e principalmente dos jovens.
Quanto a trilhas de novelas,tambem nao se deve ser tao religioso,mas caso ele nao esteja fazendo a coisa certa o mesmo prestara contas com Deus,no mais estou curioso com seu novo lancamento,e destaque para o seu segundo trabalho que foi 10 o Internacional (Change My Heart).a esse eu quero BIS.
quezia disse…
Este comentário foi removido pelo autor.

Postagens mais visitadas deste blog

Lutero e a Reforma da música - parte 1

Andreas Karlstadt acaba de publicar em Wittenberg um panfleto com 53 tópicos condenando a liturgia católica, rejeitando seu formato, seu idioma e sua música inacessível ao canto congregacional. Isso foi manchete em março de 1522. Naquele ano, Martinho Lutero, após seu exílio no castelo de Wartburg, voltava para Wittenberg, onde em 31 de outubro de 1517 ele publicara suas 95 Teses. Isso continua sendo manchete há 499 anos. Esperava-se que o Dr. Lutero, o reformador protestante, apoiasse Karlstadt. Mas ao chegar na cidade, Lutero profere uma série de oito sermões com o intuito de corrigir a reforma litúrgica radical de Karlstadt. A reforma luterana deveria ser mais cautelosa e mais conservadora devido 1) à necessidade de reformar o ensino bíblico antes de modificar o ritual e 2) ao apreço de Lutero pelo canto tradicional polifônico. As proposições reformadoras de Lutero cuidaram de preservar o aparato cerimonial da missa católica, cuja música, linguagem e ornamentações possuíam alto valor …

uma imagem que vale mil canções: história da música dos adventistas

A história da música adventista no Brasil passa obrigatoriamente pelos músicos nessa foto, tirada num encontro de músicos no Rio de Janeiro: 1ª fila, da esq. para direita: Mário Jorge Lima, Williams Costa Junior, Jader Santos 2ª fila: Evaldo Vicente, Valdecir Lima, Lineu Soares, Flávio Santos 3ª fila, à direita: Alexandre Reichert Filho
[Não conheço o trabalho de Wilson Almeida e Horly de Oliveira, na 3ª fila, da esquerda para direita. Por isso, vou mencionar somente os demais músicos].
No final dos anos 1970 e início dos anos 80, tendo como epicentro o Instituto Adventista de Ensino (hoje, UNASP-SP), eles viabilizaram uma mudança de paradigma sacro-musical que impactou a estrutura musical e poética tradicional e mobilizou um novo modelo de prática musical para as igrejas adventistas no Brasil.

Trata-se de uma foto carregada de capital simbólico, visto que reúne uma geração espetacular de letristas, maestros, instrumentistas, compositores e arranjadores que deram novos rumos à música…

quando a teologia canta