03 dezembro, 2010

do Haja luz ao Haja money

No estado do Kentucky, Estados Unidos, planeja-se a construção de um parque temático do Criacionismo. Ao custo de 150 milhões de dólares, o complexo vai abrigar uma réplica da Arca de Noé (com animais vivos dentro da arca), uma réplica da Torre de Babel, um cinema com efeitos especiais e outras atrações.

Uma coisa é o estudo, a coleta e a exposição de utensílios e outros vestígios relacionados ao povo hebreu que viveu no Oriente Médio antes de Cristo. Outra bem diferente é erguer uma espécie de Disneylândia sagrada. Isso é como usar o "Haja luz" para promover o "Haja money".

Saindo do Gênesis para o Apocalipse, já ouvimos falar de pessoas que tem a estranha mania de agendar uma data para o segundo advento de Cristo à Terra. Embora a Bíblia afirme que ninguém, a não ser o próprio Deus, conhece o dia da volta de Jesus, sempre aparece alguém portando cálculos aritméticos e hermenêutica bíblica bem pessoal iludindo, se possível for, os muitos incautos. A garantia é que mesmo os falsos profetas foram preditos na Bíblia. 

Larry Falter não acredita em datas marcadas por homens. Ele apenas crê que a volta de Cristo é iminente. O problema é que, com isso em mente, sua empresa, a Joalheria LTD (em Superior, Wisconsin), lançou um anúncio comercial na TV chamado "Liquidação da Segunda Vinda". 

No vídeo da propaganda, o próprio Larry apresenta a campanha dizendo que o dia do retorno de Jesus está próximo e, enquanto o dia não chega, você pode comprar jóias, relógios e ouro com 50% de desconto. 

Sinais dos tempos: Estão capitalizando até o Armagedon.

No início, a igreja era um grupo de homens centrados no Cristo vivo.
Então, a igreja chegou à Grécia e tornou-se uma filosofia.
Depois, chegou à Roma e tornou-se uma instituição.
Em seguida, à Europa e tornou-se uma cultura.
E, finalmente, chegou à América e tornou-se um negócio (Richard Halverson)

Palavras duras. Mas servem para que fiquemos atentos aos mercadores do evangelho que fazem da religião a alma de negócios. Liquidação do Apocalipse, parque temático do Gênesis: falta ética protestante, mas sobra espírito do capitalismo.

Mais:

Nenhum comentário: