Pular para o conteúdo principal

cem palavras: a TVerdade

Um veterano âncora de telejornal foi demitido devido aos baixos índices de audiência. Em sua despedida, ele faz ao vivo uma enfática denúncia dos podres do programa. Uma executiva da TV percebe o potencial de entretenimento disso e o apresentador volta com um programa reformulado onde dispara petardos furiosos contra a falta de escrúpulos das mídias e dos espectadores. Um sucesso espetacular, que não durará muito tempo. Esse o roteiro do filme Rede de Intrigas (1976). Uma das falas fuzilantes do autoproclamado "profeta da tv" é essa:
O apresentador entra em cena ao vivo e, após saudar o público presente, começa:

"Ai de nós. Porque 62 milhões de americanos me assistem agora. Porque menos de 3% de todos vocês lêem livros. Porque menos de 15% de vocês lêem jornais. E a única verdade que conhecem é a que passa pela televisão. Agora mesmo há uma geração inteira que nunca conheceu nada que não tenha saído da televisão. A TV é o evangelho. A revelação final.

A televisão pode fazer ou destruir presidentes, papas, ministros. É a força mais incrível nesse mundo ímpio, e ai de nós se ela cair em mãos erradas. [...] Por isso, ai de nós porque esta companhia agora está nas mãos da CCA, a Corporação de Comunicação da América. E quando a 12ª maior companhia do mundo controla a mais incrível força de propaganda em todo esse mundo ímpio, quem sabe o que será vendido como verdade nesta rede.

Então, prestem atenção! Televisão não é verdade. Televisão é um maldito parque de diversões. Televisão é carnaval, é circo, contadores de história, dançarinas, cantores, malabaristas, domadores de leão e jogadores de futebol. Nosso negócio é matar o tédio. Então, se querem a verdade, procurem Deus. Procurem seus gurus. Procurem a si mesmos! Porque esse é o único lugar onde encontrarão a verdade. Mas ouça, nunca ouvirão nenhuma verdade de nós. Vamos dizer o que quiserem ouvir. Mentimos como loucos. Diremos que Kojak sempre pega o assassino e que ninguém tem câncer na casa de Archie Bunker. E não importa se o herói está enrolado, se acalme. Olhe no relógio. No final do programa, ele vai vencer! Diremos qualquer porcaria que queiram ouvir! Lidamos com ilusões. Nada disso é verdade. Mas vocês sentam aí, dia após dia, noite após noite. Todas as idades, raças, credos.

Somos tudo que vocês conhecem. Estão começando a acreditar nas ilusões que apresentamos aqui. Começam a achar que a TV é real e suas vidas são irreais. Fazem tudo o que a TV manda fazer. Vestem-se como na TV, comem como na TV, criam seus filhos como na TV, até pensam como a TV. Isso é loucura em massa, seus maníacos!

Em nome de Deus, vocês são de verdade! Nós somos a ilusão! Então desliguem as TVs. Desliguem agora mesmo. Desliguem e deixem desligadas. Desliguem no meio desta frase. Desliguem! "


Comentários

gislaine Ortiz disse…
Verdade nua e crua!
Léo Fontes disse…
O trágico é que uma verdade dessa dita na TV pode se interpretada como marketing, e acharem que em alguns dias começará uma nova série ou um programa "inovador".
joêzer disse…
sem dúvida, Leó.
o Faustão começou a carreira de apresentador debochando da própria tv e do programa que fazia.
Paulinho disse…
Quanta gente não enxerga isto por mais que esfreguem na cara e admitem que é verdade, mas no fim de tudo não estão nem ai, e continuam com a vidas normatizadas pela ilusão televisiva.

Postagens mais visitadas deste blog

Lutero e a Reforma da música - parte 1

Andreas Karlstadt acaba de publicar em Wittenberg um panfleto com 53 tópicos condenando a liturgia católica, rejeitando seu formato, seu idioma e sua música inacessível ao canto congregacional. Isso foi manchete em março de 1522. Naquele ano, Martinho Lutero, após seu exílio no castelo de Wartburg, voltava para Wittenberg, onde em 31 de outubro de 1517 ele publicara suas 95 Teses. Isso continua sendo manchete há 499 anos. Esperava-se que o Dr. Lutero, o reformador protestante, apoiasse Karlstadt. Mas ao chegar na cidade, Lutero profere uma série de oito sermões com o intuito de corrigir a reforma litúrgica radical de Karlstadt. A reforma luterana deveria ser mais cautelosa e mais conservadora devido 1) à necessidade de reformar o ensino bíblico antes de modificar o ritual e 2) ao apreço de Lutero pelo canto tradicional polifônico. As proposições reformadoras de Lutero cuidaram de preservar o aparato cerimonial da missa católica, cuja música, linguagem e ornamentações possuíam alto valor …

uma imagem que vale mil canções: história da música dos adventistas

A história da música adventista no Brasil passa obrigatoriamente pelos músicos nessa foto, tirada num encontro de músicos no Rio de Janeiro: 1ª fila, da esq. para direita: Mário Jorge Lima, Williams Costa Junior, Jader Santos 2ª fila: Evaldo Vicente, Valdecir Lima, Lineu Soares, Flávio Santos 3ª fila, à direita: Alexandre Reichert Filho
[Não conheço o trabalho de Wilson Almeida e Horly de Oliveira, na 3ª fila, da esquerda para direita. Por isso, vou mencionar somente os demais músicos].
No final dos anos 1970 e início dos anos 80, tendo como epicentro o Instituto Adventista de Ensino (hoje, UNASP-SP), eles viabilizaram uma mudança de paradigma sacro-musical que impactou a estrutura musical e poética tradicional e mobilizou um novo modelo de prática musical para as igrejas adventistas no Brasil.

Trata-se de uma foto carregada de capital simbólico, visto que reúne uma geração espetacular de letristas, maestros, instrumentistas, compositores e arranjadores que deram novos rumos à música…

quando a teologia canta