30 agosto, 2010

a tradição do novo e a novidade do velho

Há duas semanas assisti a uma apresentação do cantor adventista Leonardo Gonçalves no sábado à tarde. Muita gente veio assisti-lo também. Seus poemas e canções são fartamente conhecidos. Sua voz com melismas e agudos, também. O que, talvez, algumas pessoas ainda não conheciam era o modelo bastante espiritual de sua apresentação daquele dia. Quem foi assistir a um show acabou participando de um culto.

O repertório alternava as canções com a leitura e comentários de trechos bíblicos. Aliás, a Bíblia esteve o tempo todo aberta em uma estante a frente do cantor. Antes da última música, ele falou/pregou à congregação, fez um apelo e terminou com uma oração cantada, o que inibiu completamente qualquer manifestação de histeria de fã. Sua capacidade de atração jovem é notável, porém, mais notável ainda foi sua postura de mensageiro da Palavra. Algumas palavras de um cantor às vezes têm mais repercussão na mente de um jovem do que o sermão inteiro de um pastor. É grande a responsabilidade dos cantores que professam levar o evangelho por meio da música.

Há uma semana assisti a uma entrevista do pastor adventista Alejandro Bullón no sábado à tarde. Muita gente veio assisti-lo também. Seus livros e sermões são fartamente conhecidos. Sua voz emocionada e com sotaque “portunhol”, também. O que, talvez, muita gente ainda não conhecia era o quanto este pastor já aposentado está envolvido com a modernização dos métodos evangelísticos. Quem achava que ele só pregava e escrevia acabou sabendo que ele produz filmes e está se formando como roteirista.

O repertório dos filmes está centrado no cristianismo bíblico. São histórias para captar a atenção de homens e mulheres para o sentido de Deus em suas vidas. Na entrevista, o pastor Bullón preocupava-se com o número de pessoas que só conhecem a mensagem cristã por meio de filmes e livros que distorcem a Bíblia. Suas produções filmadas ou escritas pretendem contar histórias comuns ou extraordinárias segundo uma visão bíblica mais correta.

O jovem cantor apresentou-se apoiado na velha e feliz história de salvação. A tradição bíblica na musicalidade da juventude. O velho pregador apresentou-se com uma mente jovem, plugada em transmitir a velha e feliz história da rendenção. A novidade dos métodos na maturidade dos anos.

Um músico cristão usou o talento são para falar da sã doutrina. Um pregador mostrou que o peso da idade envelhece o corpo, mas a mente a serviço de Deus segue renovada e lúcida.

6 comentários:

UNASPNews disse...

Mestre Joêzer,

Que texto! Para além do formato a surpresa da análise.

Você capta o real sem melindrar a realidade.

Pingo.

Abraço

Jael Eneas

Rafael disse...

Análise e criatividade em sintonia!

joêzer disse...

my master Jael, que bom saber!

valeu, rafael.

Simone disse...

Belo texto, não só pelas palavras, mas também pelo fato de refletir a realidade, pois conheço o Léo e s a sua constante preocupação em manter a espiritualidade e o clima de adoração a Deus em suas apresentações.

Daniella disse...

Simplesmente perfeito, e louvado seja Deus por isso.

armaduraadventista disse...

Fico muito feliz em receber notícia como esta, de uma persona adventista que é quase que adorada pelos jovens em geral, mas que demonstra tal firmeza de princípio.
Que Deus continue tornando o LG um adorador e que seu exemplo possa ser copiado por todos esses bonecos de prateleira e animadores de auditório que querem soar como adoradores, mas nada mais são que marionetes em um picadeiro a qual insistem em chamar de igreja.

Novamente, que Deus abençoe o LG!


Evanildo Ferreira de Carvalho