20 junho, 2010

concerto para vuvuzela em si bemol









9 comentários:

Silvio Araujo disse...

Fantástico!!!

Jael Eneas disse...

Esse é o mestre Joêzer: agitato e criativo, a partita fala per si.

Trata-se de brilhante convergência da sintaxe e da semântica, cuja tradução é semiótica a serviço do non sense.

Vale Gol. Vale 10!

Jael Eneas

paulinha777 disse...

kkkkkk

Viviane Mila Rocha disse...

Irritante, ruidosa, africanamente maravilhoso!!! kkkkk... Vou rir dormindo, e vice-versa.

Victor Meira disse...

Hahahahahaha

°ღ•ℳÁℛÁ ℳŐℛΞППÁ●•٠·˙ disse...

muuuitooo interessante!!
simplesmete fantástico!

estudante disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
André Reis disse...

Eu escrevi um em Si bemol MENOR, vamos ver se faz mais sucesso do que esse aí... rsrs

André R. S. Gonçalves disse...

essa me fez rir...
valeu!