11 junho, 2010

um poema: quem é o meu próximo?


Olha o homem no chão,

Roubado, meio morto

Quem terá compaixão,

Será amparo e porto?


Lá vem o sacerdote

Pelo mesmo caminho,

É certo que devote

Cuidados e carinho.


Mas ele passa ao largo

Prossegue para igreja

E lá cumpre seu cargo

E diz: “Louvado seja!”


Olha o homem no chão,

Roubado, meio morto

Quem terá compaixão,

Será amparo e porto?


Decerto o levita

Que desce e o vê também

Mas prossegue e o evita

Nem o fita. “Amém!”


Mas o samaritano

Que vinha de viagem

Tido por desumano

Levou-o à estalagem


Não pensa em perda e dano

E dá do seu dinheiro

E resume seu plano:

“O custo pago inteiro”


E ensina: “O meu próximo

Quem é? É todo aquele

De quem me aproximo.”

Pois o amor lhe impele.


Poema de Silvestre Kuhlmann, músico cristão.

Imagem: O bom samaritano (1852), de Eugène Delacroix (1798-1863)


Nenhum comentário: